Capítulo 17 | Casamento – No Rumo da Vida

. .

Amanhecendo…

[CENÁRIO 01 – CASA DA LUANA/ Q. DA LUANA/ DIA]
(Verônica invade o quarto da filha e a encontra dormindo ainda)
VERÔNICA – Eu não acredito que você ainda estar na cama! (abrindo as janelas e tirando as cobertas de cima da filha)
LUANA – (sonolenta) O que foi agora?
VERÔNICA – O que foi agora? Esqueceu que dia é hoje? E eu pensando que você já estava acordada, quase pronta. Mas não, está ai, parecendo uma preguiçosa pro casamento.
LUANA – Tinha me esquecido que era hoje o bendito casamento.
VERÔNICA – Não quero ver essa cara hoje não, hein. Finja que está feliz, que hoje é o seu dia, filha. Portanto, trate de se levantar desta cama, se arrumar, que daqui a pouco o cabeleireiro e maquiadores estão chegando.
LUANA – De que adianta ser a mais linda, se não estou feliz!
VERÔNICA – Logo, logo você será feliz minha filha. Com o dinheiro que você vai ter, você vai comprar qualquer felicidade!

[CENÁRIO 02 – CASA DO FELIPE/ SALA/ DIA]
(Felipe está na sala, pensando em Carla, que nem percebe Miguel chegando)
MIGUEL – Vejo que alguém aqui gosta de madrugar, hein!
FELIPE – Miguel? Quando você chegou cara? (os dois se abraçam)
MIGUEL – Cheguei ontem, mas como você estava ocupado lá na empresa, não deu da gente se encontrar.
FELIPE – Pra falar a verdade, lá é o único lugar que eu posso ficar sossegado. Porque quando chego aqui, parece que todos os problemas resolvem se juntar e vir todos juntos de uma vez.
MIGUEL – Mas hoje não é um dia para pensar em problemas. Hoje é o dia do seu casamento.
FELIPE – E quem disse que isso não é mais um problema?
MIGUEL – Que é isso, falando assim, parece que nem quer casar?
FELIPE – É uma longa história, que não é bom contar agora, mas… e sua irmã, ela veio?
MIGUEL – Não, ela não pode vir, tinha uns assuntos para resolver na empresa lá também. O que vocês vêm tanto que são viciados no trabalho hein?
FELIPE – Se você me fizesse essa pergunta um tempo atrás, eu não saberia te responder, mas hoje, eu percebo que a minha vida é pela aquela empresa.
MIGUEL – Não é bem assim. A sua vida é na sua família, amigos, sua noiva, que daqui a pouco será sua mulher.
FELIPE – Pode ser, mas o que depender de mim, irei dar a vida por aquela empresa.
MIGUEL – Você não está fazendo isso, por ainda está se culpando da morte de seu pai, está?
FELIPE – Não, estou fazendo isso, porque é o que meu pai queria pra mim. Que eu seguisse os passos dele.

[CENÁRIO 03 – APARTAMENTO DA CAMILA/ COZINHA/ DIA]
CARLA – Bom dia. (entrando na cozinha)
CAMILA – Bom dia.  Acordou cedo por quê?
CARLA – Vou lá em casa, procurar a outra carta. Você guardou a chave de lá, né?
CAMILA – Claro que guardei. Está bem guardado, lá dentro do meu quarto.
CARLA – Então deixa lá. Que eu tô com a minha, só queria saber mesmo se você continuava guardando.
CAMILA – Você precisa de ajuda pra procura-la?
CARLA – Não, eu acho que eu sei onde ele deve estar!
CAMILA – Se você está dizendo, bem estou indo comprar pão, você não quer aproveitar a carona do elevador.
CARLA – Quero, sim.
CAMILA – Então, vamos.

[CENÁRIO 04 – CASA DO FELIPE/ Q. DO FELIPE – SALA/ DIA]
VIVIANE – Filho, posso entrar? (bate na porta) Filho? (entra no quarto e o encontra vazio) Você está no banheiro? (procura pelo banheiro, encontra vazio e volta para o quarto) Filho? (desce para a sala) Você viu seu irmão, Paulo?
PAULO – Não. Ele não está no quarto?
VIVIANE – Não, acabo de vir de lá e ele não estava.
MIGUEL – Não tem muito tempo que eu estava conversando com ele aqui na sala.
VIVIANE – Você viu pra onde ele foi?
MIGUEL – Ele tinha subido para o quarto, depois eu não o vi.
PAULO – Então ele deve ter saído.
VIVIANE – Mas pra onde ele iria, daqui a pouco ele se casa?
PAULO – Isso eu não sei.

[CENÁRIO 05 – CASA DA LUANA/ SALA/ DIA]
CLÁUDIO – Vocês estão prontas ou não? (grita da sala) Porque será que as mulheres demoram tanto á se arrumarem? E eu já estou começando a ficar suado com essa roupa.
VERÔNICA – Pronto, estamos prontas. (descendo as escadas, atrás da Luana, carregando a calda do vestido)
CLÁUDIO – Nossa, você está linda irmã.
VERÔNICA – Essa é a noiva mais linda que essa cidade já viu.
CLÁUDIO – O Felipe é um cara de sorte.
VERÔNICA – Isso é verdade.
LUANA – Vocês vão querer ir ou vão ficar aqui me admirando?
CLÁUDIO – Verdade, vamos porque já está quase na hora.
VERÔNICA – Deixa de ser apressado Cláudio, é normal a noiva se atrasar um pouquinho. A gente vai, mas com calma, para não danificar esse vestido lindo!
CLÁUDIO – Tá, deixem comigo.
VERÔNICA – Vamos, deixa eu te ajudar filha! (Cláudio vai na frente para abrir a porta. Verônica está logo atrás da Luana, ajudando-a com o vestido)

[CENÁRIO 06 – CASA DA CARLA/ SALA – EXTERNA DA CASA/ DIA]
(Carla entra em sua antiga casa e fica observando os moveis cobertos por pano, todos cheio de poeira. Em sua mente, parece que todas as lembranças que ela viveu naquela casa, estivessem passando em sua cabeça)
CARLA – Minha casa. (emocionada) Tantas histórias tivemos aqui. (do lado de fora, o carro do Felipe estaciona próximo a casa)
FELIPE – Fico imaginando, se eu tivesse tomado coragem e ter indo até ela. Como seria a minha vida agora? Talvez, seria com ela que eu estaria me casando hoje.
CARLA – Tudo igual, como eu havia deixado. (caminha até a cozinha) Bem, chega de lembranças, não foi para isso que eu vim aqui. Se a minha mãe disse que a outra carta está num lugar que só eu e ela saberíamos, então esse envelope deve está no próprio quarto dela. (sobe as escadas)
FELIPE – Será que tem alguém lá? Será que ela voltou? (ele sair do carro e caminha em direção a casa) Tudo fechado. (olha pelas janelas) Não Felipe, não tem ninguém em casa. (caminha até a porta, colocando a mão na campainha, mas não à toca)
CARLA – Agora, onde minha mãe esconderia esta carta? (ela começa a vasculhar o quarto de sua mãe)
FELIPE – E se eu tocar a campainha, talvez ela ouça e volte para mim. (pensa em tocar, mas hesita…) Não Felipe, ela não vai voltar. (retira a mão da campainha) A vida não quis que vocês ficassem juntos! (ele volta para o carro) Pra que insistir.
CARLA – Pensa Carla, um lugar que só você e sua mãe saberia onde está. (ela olha para o guarda roupa) Claro. (abre e começa a vasculhar as coisas de seu pai) Achei, lógico que tinha que está nas coisas do papai. Mamãe sabia, que só eu e ela mexeríamos nas roupas dele. (ela pega o envelope, começa a ler, e confirmar que é o mesmo) Então é verdade, meu pai está vivo.
FELIPE – Você tem um casamento pra ir Felipe. (entra no carro) Você não pode fazer isso com o seu filho. (liga o carro e olha uma última vez para a casa)
CARLA – Agora que eu sei que a carta é verdadeira (descendo as escadas) preciso agora encontrar meu pai. Provavelmente ele deve está no Rio. Mas se ele não estiver? Na casa das meninas eu penso isso com calma.. (ela parar no meio da sala e lembra da noite que passou com o Felipe. Fim da lembrança, passa a mão em sua barriga) Será que eu vou ver ele ainda? Calma Carla, cada coisa de cada vez! (Carla caminha até a porta, neste momento Felipe liga o carro e caminha para a igreja, mas ambos não se vêm)

[CENÁRIO 07 – IGREJA/ DIA]
(Adriano e Roberto, chegam à igreja)
ADRIANO – Você está vendo o Felipe?
ROBERTO – Não!
ADRIANO – Será que ele não chegou ainda ou viemos cedo demais?
ROBERTO – Olha o Paulo ali, vamos pergunta para ele. (eles caminha até o outro lado da igreja) Paulo, cadê o Felipe?
PAULO – Também gostaria de saber?
ADRIANO – Ele não veio com vocês?
PAULO – Não, ele saiu lá de casa horas antes de nós e não sabemos para onde ele foi.
ROBERTO – É bom o Felipe chegar agora, porque a noiva parece que já chegou (aponta para a entrada da igreja. Paulo vai até a sua mãe)
PAULO – Mamãe, a Luana chegou!
VIVIANE – Eu vou lá filho.
[LÁ FORA]
CLÁUDIO – Pronto, chegamos. Vamos entrar?
VIVIANE – Não, eu já te disse, é bom á noiva atrasar um pouquinho, vamos esperar mais um pouco no carro!
LUANA – Ah não mamãe, vamos entra logo, não estou aguentando mais está metida no meio desse vestido me apertando.
VIVIANE – Paciência filha, daqui a pouco entramos.
CLÁUDIO – Não é a mãe do Felipe ali? (Viviane chega ao carro)
VERÔNICA – A gente já vai entrar Viviane, só estamos esperando um pouquinho aqui.
VIVIANE – É bom mesmo vocês esperarem um pouco.
VERÔNICA – Por quê? Aconteceu alguma coisa?
VIVIANE – Nem sei como dizer isso.
VERÔNICA – O que está acontecendo Viviane? Cadê o Felipe?
VIVIANE – Ele ainda não chegou!
VERÔNICA – Como assim ele não chegou? Ele não está lá dentro?
VIVIANE – Não, ele saiu cedo e até agora nada.
VERÔNICA – Não acredito que ele vai fazer isso com minha filha. Se o Felipe não chegar em 30 minutos Viviane, eu faço um escândalo nessa igreja e conto para todo mundo que o seu filho, abandonou minha filha no dia do casamento, pra fugir das responsabilidades dele de pai. Eu não acredito que o Felipe vai fazer isso com minha filha. Abandoná-la justo no dia do seu casamento?
VIVIANE – Calma, Verônica, não sabemos se ele abandonou alguém ainda. Vai que aconteceu alguma coisa e ele se atrasou?
VERÔNICA – Que lindo, não sabia que era o noivo quem se atrasava. Não vem com essa Viviane, seu filho, abandonou minha filha.
LUANA – Calma mamãe deve ter acontecido alguma coisa…
VERÔNICA – Que calma filha, eu não tenho sangue de barata para ficar calma, esperando um mau caráter que nem o Felipe, não cumprir as obrigações dele.
CLÁUDIO – Aquele carro ali não é o dele?
VIVIANE – É sim, graças a Deus. (corre em direção ao carro do filho)
VERÔNICA – Finalmente.
LUANA – Viu mamãe, o Felipe não é de fugir de suas responsabilidades.
VERÔNICA – Só vou ter certeza disso quando ele dizer sim para o Padre, na frente de Deus, no altar.
VIVIANE – Estávamos todos preocupados com você filho?
FELIPE – Calma mamãe, eu não desistir de casar.
VIVIANE – Onde você estava?
FELIPE – Fui apenas colocar as ideias em ordem!
VIVIANE – Pois então vamos entrar, os convidados já começaram a reparar essa demora toda. (Felipe e Viviane entram na igreja. Luana e Verônica continuam no carro, observando)
CLÁUDIO – Eles estão entrando!
VERÔNICA – Vamos aguardar um pouco e entramos!

[CENÁRIO 08 – APARTAMENTO DA CAMILA/ COZINHA/ DIA]
CAMILA – Então você encontrou o que procurava?
CARLA – Encontrei e é verdade!
CAMILA – Seu pai está vivo realmente?!
CARLA – Está, tudo o que minha mãe escreveu, é verdade.
CAMILA – E o que você pensa em fazer?
CARLA – Eu não sei. Eu vim aqui procurar essa outra carta e agora que encontrei, acho que vou voltar pra São Paulo.
CAMILA – Mas já, você mal chegou?
CARLA – Não posso ficar muito tempo aqui, na verdade só vim mesmo para confirmar essa historia.
CAMILA – E quando você pretende ir?
CARLA – Talvez essa semana ainda, eu acho. Preciso ficar um tempo por aqui, pensar o que vou fazer daqui pra frente! (campainha) Está esperando alguém?
CAMILA – Não, mas deve ser bem a Joana? (abre a porta) Você?
BEATRIZ – Olá filhinha, saudades.

[CENÁRIO 09 – NA IGREJA/ DIA]
(Felipe e Viviane chegam ao altar)
MIGUEL – Onde você estava primo?
VIVIANE – A noiva está entrando.
FELIPE – Depois conversamos, Miguel. (Luana entra na igreja. Felipe ao ver entrando, tem uma breve lembrança da Carla na cabeça. Mas como eu disse, breve lembrança, logo ele viu quem que estava entrando. Cláudio a leva até o altar e a entrega para o Felipe)
CLÁUDIO – Faça essa garota feliz, que ela merece tudo de bom. (Cláudio vai para o lado da sua mãe. Felipe e Luana ficam em frente ao padre)
LUANA – (diz baixo perto dele) Pensei que você fosse me deixar?
FELIPE – Eu estou aqui não estou!
LUANA – Você não é obrigado a está aqui?
FELIPE – Não é por você que eu estou aqui.
PADRE – Estamos aqui hoje reunidos, para realizar o casamento… (o padre inicia o casamento. Ambos dizem sim, ninguém se opôs e o casamento termina sem nenhuma interrupção. Os recém-casados se encaminham para a festa na casa do noivo)

[CENÁRIO 10 – APARTAMENTO DA CAMILA/ SALA/ TARDE]
(Camila deixa Bianca entrar. Ela, Bianca e Carla estão na sala conversando)
BIANCA – (retira da bolsa um envelope e entrega para Camila) Essas aqui são as provas. Vários bilhetes, cartas, do caso que tivemos. E você é fruto desse caso. Querendo ou não.
CAMILA – E você quer que eu procure a família desse cara, para que eles me aceitem?
BIANCA – É o certo não?
CARLA – O certo é você deixar sua filha em paz. Você não ver o mal fez pra ela?
BIANCA – Eu vejo sim menina, por isso que eu estou aqui. Se ela for atrás da família dele, e assumir os direitos que ela tem, ela vai poder ter tudo o que eu não pude dar pra ela.
CARLA – O que ela quer é amor e não dinheiro!
BIANCA – Com dinheiro você compra qualquer amor. Mas eu não quero saber de você, quero ouvir o que minha filha tem há dizer?
CAMILA – Como se fosse fácil você ter feito tudo o que fez comigo e aparecer agora, me pedido pra ir atrás de um cara que eu nem conheço, pra pedir que a família dele me aceite como filha. Quem garante que eles vão vai me aceitar?
BIANCA – Eles não tem escolha. Você é herdeira também, tem seus direitos.
CAMILA – Se eu for atrás dele, você promete sair da minha vida definitivamente? Esquece que eu existo?
BIANCA – Claro, logo após que eu receber uma boa recompensa…
CARLA – Você não ver Camila, que essa mulher só estar interessada em dinheiro, quem sabe esse cara nem seu pai é.
BIANCA – Um simples teste de DNA resolveria essa dúvida.
CAMILA – Está certo, vou atrás dessa família. Agora não me culpe se seus planos não derem certos.
CARLA – Eu não acredito que você vai fazer isso?
CAMILA – Faço qualquer coisa pra ter essa mulher de vez fora da minha vida! Então, onde á família desse cara mora?
BIANCA – Bem, se vocês tiverem dinheiro pro táxi, eu levo vocês até lá!
CARLA – Agora?
BIANCA – Porque não?
CAMILA – Quando mais cedo terminarmos isto, melhor Carla.
BIANCA – Então vamos?
CARLA – Eu não vou deixar você sozinha com essa mulher.
BIANCA – Quiser pode vir querida, quanto mais gente melhor.

[CENÁRIO 11 – CASA DO FELIPE/ JARDIM/ TARDE]
VERÔNICA – Pena que vocês não vão poder ficar pra festa.
FELIPE – Amanha estarei de volta.
VIVIANE – Não se preocupa filho, aproveita a lua de mel com sua mulher.
FELIPE – Cuida dela! (olha para o Paulo)
PAULO – Pode deixar.
FELIPE – E você não vá embora antes deu voltar. (olha para o primo)
MIGUEL – Eu vou ficar aqui um bom tempo ainda, aproveita.
VERÔNICA – Tchau filha, quando você voltar quero saber de tudo que houve lá. (Felipe e Luana se despedem de todos e vão para a lua de mel, enquanto o resto da família e os convidados aproveitam a festa sem os recém-casados)
PAULO – Bem, vou pro meu quarto tirar esse terno. (Paulo entra na casa)
[NO CARRO]
LUANA – Você sabe que não é obrigado á fazer essa viagem?
FELIPE – Estamos casados agora né, vamos fazer como manda as coisas. Mesmo sendo um casamento de aparências!

Continua no Capítulo 18…

Anderson S.

Acompanhe também:
TwitterFacebook

Rating: 4.7. From 3 votes.
Please wait...
Ir para: No Rumo da Vida

Deixe uma resposta