Capítulo 16 | Prazer, Miguel! – No Rumo da Vida

. .

[CENÁRIO 01 – PRAIA/ DIA]
(Sérgio e Luana estão em uma barraquinha na praia, ela está nervosa, mas Sérgio tentando esquece-la, não nota muito seu nervosismo)
SÉRGIO – Antes que você venha com alguma história…
LUANA – Deixa eu falar primeiro…
SÉRGIO – Não, eu quero falar. Em nome da grande amizade que tenho com o Felipe, seu noivo, prometi que iria te esquecer. E estou comprido esta promessa. Então, antes que você venha com alguma historia, querendo ficar comigo…
LUANA – Eu não vim aqui para ficar com você!
SÉRGIO – Há não? Então para que você me chamou? Já sei… veio me dizer que o Felipe te meteu o pé na bunda e agora que o caminho está livre, veio atrás de mim?
LUANA – Do que você está falando?
SÉRGIO – Vai me dizer que você não veio aqui, pra dizer que está com saudade de mim, dos meus beijos, da minha pegada.
LUANA – Você é um babaca mesmo, né. Vim aqui para ter uma conversa séria com você.
SÉRGIO – Minha amizade com o Felipe é maior do que qualquer mulher.
LUANA – Quer saber, foi uma péssima ideia ter vindo aqui. (se vira para ir embora)
SÉRGIO – Isso, vai mesmo. E saiba que vou continuar cumprindo a promessa, eu vou te esquecer, Luana.
LUANA – De agora em diante eu também pretendo fazer o mesmo.
SÉRGIO – Assim espero. (ela vai embora chorando, mas Sérgio não percebe) Pronto, uma página virada na minha vida.

SEMANAS DEPOIS…

[CENÁRIO 02 – CASA DA ROSÁRIO (SÃO PAULO)/ Q. DE HOSPEDES/ DIA]
(Carla sair do banheiro com uma expressão séria, nas mãos vem trazendo um teste de farmácia, logo em seguida se senta na cama. Paula que estava aguardando a irmã, senta ao lado dela)
PAULA – (ansiosa) Então, o que foi que deu?
CARLA – Deu positivo! Estou grávida!
PAULA – Eu sabia, esses enjoos que você andava sentido não era normal. Você nunca foi de ficar enjoada, Carla.
CARLA – Estou grávida! (olhando para o teste na mão)
PAULA – E agora, o que você vai fazer?
CARLA – Eu vou continuar meu plano, Paula. (se levanta e vai para o banheiro jogar o teste no lixo) Eu vou voltar para o rio procurar a carta da nossa mãe. Depois penso sobre isso.
PAULA – Acho que você devia resolver esse assunto primeiro e ir atrás daquele cara!
CARLA – Não, também não quero pensar nisso. Primeiro o assunto do nosso pai, depois eu vejo essa gravidez.
PAULA – Depois quando? Quando a barriga aparecer?
CARLA – Se isso acontecer, vou ter alguma coisa pra dizer. Agora deixa terminar de organizar minhas coisas, que daqui a pouco pego o ônibus.
PAULA – Aproveita que você está voltando para o Rio e procura aquele carinha, Carla. Ele tem que saber desta criança.
CARLA – Eu já disse que depois eu vejo o que eu faço com esse assunto, Paula. Agora, vem me ajudar aqui, por favor? (Carla e Paula achavam que estavam seguras falando naquele assunto no quarto. Só que Diego, sem querer, acaba ouvindo a conversa)

[CENÁRIO 03 – CASA DA LUANA/ Q. DA LUANA/ DIA]
(Luana está em frente ao espelho fazendo a ultima prova do seu vestido de noiva. Verônica está ao lado da filha, ajudando a costureira nos últimos ajustes do vestido)
VERÔNICA – Você vai ser a noiva mais linda que essa cidade já viu.
LUANA – Ainda bem que esse é o ultimo teste pra esse vestido, não aguento mais tirar e colocar, ajuste aqui, ajuste ali…
VERÔNICA – Paciência, filha, que amanha é o seu grande dia.
LUANA – Meu ou da senhora?
VERÔNICA – O de nos duas. Afinal, foi juntas que chegamos até aqui.
LUANA – Aíí… não acha que está apertado demais não.
VERÔNICA – Nada, temos que disfarçar essa sua barriga.
LUANA – Que ainda nem dar de se ver.
VERÔNICA – Claro que dar. Não podemos deixar que o povo diga que você está casando porque está grávida. Eles tem que pensar que vocês vão se casar porque vocês se amam e foram feitos um para o outro. Agora quietinha e deixa a costureira fazer todos os ajustes.

[CENÁRIO 04 – CASA DO FELIPE/ SALA/ DIA]
(Felipe e Viviane estão na sala debatendo sobre o casamento)
PAULO – Preparado para o grande dia de amanha?
FELIPE – Sinceramente, não.
VIVIANE – Porque, filho? Nem parece que está feliz por está se casando amanha?
FELIPE – Como posso está feliz, em um casamento onde não há amor mamãe?
VIVIANE – Então porque não cancela o casamento quando ainda tem tempo?
FELIPE – Pela aquela criança. Quero está presente na vida dela e se este é o melhor jeito pra ficar perto e acompanhando os passos do meu filho, tenho que fazê-lo.
VIVIANE – Hoje em dia, o pai pode acompanhar os passos dos filhos, sem ser obrigado a casar com a mãe.
FELIPE – Eu sei, mas eu quero assim, mamãe. Não quero que aquelas duas, influencie a cabeça da criança com besteira. Quero dar uma educação boa pro meu filho, não quero que ele sinta a ausência de uma figura paterna na vida dele.
VIVIANE – Se você quer assim, não posso fazer nada filho. Só pedir que você seja feliz nesse casamento sem amor.
FELIPE – Eu vou ser mamãe, essa criança vai ser minha felicidade nesse casamento.

[CENÁRIO 05 – APARTAMENTO DO SÉRGIO/ SALA/ DIA]
(Sérgio está na sala se despedido de seus amigos… as férias chegaram e ele vai passar alguns dias na casa de seus pais em Minas)
SÉRGIO – Bem, estou com as malas prontas. Como os marmanjos aí não querem viajar, eu vou aproveitar ás minhas férias.
ROBERTO – Você vai voltar só no final das férias?
SÉRGIO – Irei passar só algumas semanas, em breve estou de volta.
ROBERTO – Então boa viaje, parceiro. (se abraçam, se despede também do Adriano, logo depois pega suas malas e caminha em direção a porta)
ADRIANO – Não se preocupa, que diremos para o Felipe que você não pode ir ao casamento dele amanhã.
SÉRGIO – Obrigado, garela. (Sérgio sai do apartamento)

[CENÁRIO 06 – APARTAMENTO DA CAMILA/ SALA/ DIA]
(Camila e Joana estão na sala aproveitando as férias. Ambas estão vendo TV)
JOANA – Não acredito, finalmente primeiro dia das férias.
CAMILA – Você e seu namorado estão planejado alguma viagem?
JOANA – Não. O Junior vai trabalhar nas férias.
CAMILA – Estou preocupado com a Adriana, não recebemos nenhuma noticia dela, deste que saiu daqui. Será que ela está bem?
JOANA – Não acredito que você ainda se preocupa com aquela trairá.
CAMILA – Ela é nossa amiga… (antes que ela terminasse a frase, Joana fica enjoada e corre direto para o banheiro) O que foi Joana, você está bem?
JOANA – (vomito – volta pra sala) Sei lá, me deu um enjoo de repente. Acho que foi a comida de ontem a noite que eu e o Junior comemos.
CAMILA – Certeza? Não acha melhor ir para o hospital?
JOANA – Não já passou, só foi um mal estar mesmo.
CAMILA – Eu não sei não. Essa não é a primeira vez que você fica enjoada assim… Acho que você deveria ir ao hospital.
JOANA – Não precisa, Camila, estou bem já. (volta a sentar no sofá)
CAMILA – O Junior sabe desses seus enjoos?
JOANA – Não e nem pense em contar pra ele.

[CENÁRIO 07 – CASA DA ROSÁRIO (SÃO PAULO)/ SALA/ DIA]
(Carla vem descendo pra sala, logo atrás dela vem sua irmã. Rosário estava na sala, pronta para se despedir da afilhada)
CARLA – Pronto, madrinha, minha mochila esta pronta.
ROSÁRIO – Tem certeza de que é isso que você quer filha? Mexer nesse passado?
CARLA – Tenho, eu vou encontrar meu pai.
ROSÁRIO – Que Deus te proteja nessa sua busca então. Queria tanto embarca você na rodoviária, mas a Roberta precisa da minha ajuda no comércio.
CARLA – Pode ir madrinha, não quero que deixe de cuidar de seus negócios, pra cuidar de mim.
ROSÁRIO – Liga pra gente quando chegar lá viu?
CARLA – Pode deixar. Tchau irmã… (abraça ela) e vai estudar. Olho nela viu madrinha.
ROSÁRIO – Pode deixar filha, essa aí está bem cuidada.
PAULA – Não esquece de ligar, Carla. Qualquer informação do papai, me conta, tá.
CARLA – Pode deixar. (ela pega sua mochila e vai para fora de casa. Um táxi já estava lá fora esperando. Diego também estava lá fora)
ROSÁRIO – Tchau filha. (as duas se abraçam)
PAULA – Tchau, Carla. (Carla se despede e caminha em direção ao táxi… Diego estava próximo dele)
CARLA – Tchau, Diego. (Carla o abraça e ele cochicha em seu ouvido)
DIEGO – Se você quiser eu posso assumir essa criança?
CARLA – (se afasta dele) Do que você está falando?
DIEGO – Eu sei querer ouvir a sua conversa com a Paula e se você quiser, eu posso ser o pai para essa criança?
CARLA – Eu não sei do que você está falando Diego, agora tenho que ir, se não perco o ônibus. (ela entra no táxi e partir para rodoviária)

[CENÁRIO 08 – CASA DO FELIPE/ Q. DO FELIPE/ DIA]
(Felipe está sentado em sua cama, com o retrato do pai nas mãos)
FELIPE – Amanha me caso pai. Infelizmente, não será com a garota que eu amo. (deita na cama e pensa em Carla) Porque a vida sempre gosta de mudar nossos planos, pai? Planejamos tudo certinho e do nada tudo muda…

[CENÁRIO 09 – ÔNIBUS/ DIA-NOITE]
(Carla procura uma poltrona vazia, ela encontra, se senta e coloca sua mochila sobre as pernas. Minutos depois, Miguel, também procura uma poltrona vazia, ele ver uma ao lado da Carla, então decide sentar ao lado dela)
MIGUEL – Com licença, alguém sentado aqui? (Carla nega com a cabeça e Miguel senta ao lado. Um silêncio fica por um tempo, quando ele decide puxar conversar) Quase perco o ônibus.
CARLA – Eu também.
MIGUEL – Você está indo pro Rio?
CARLA – Estou, vou á procura de alguém lá.
MIGUEL – Aposto que é de um homem. Com todo o respeito.
CARLA – Acertou, mas não é esse tipo de homem que você está pensando!
MIGUEL – Sei, bem estou indo pro Rio, mas é para um casamento. Meu primo vai se casar amanha.
CARLA – Sério, que bom.
MIGUEL – Pois é. Olha, nem me apresentei. Prazer, Miguel.
CARLA – Prazer, Carla. (os dois se observam por um tempo. O ônibus começa a sair e ambos vai a viagem inteira conversando. O ônibus chega ao Rio de Janeiro. Ambos saem juntos do ônibus)
MIGUEL – Você está esperando alguém pra vir te buscar?
CARLA – Não.
MIGUEL – Mas você tem parentes aqui?
CARLA – Tenho umas amigas, vou ficar esperando elas…
MIGUEL – Ah, está certo. Então nos separamos aqui, boa sorte na sua procura.
CARLA – Obrigada. Bom casamento para o seu primo. (Miguel pensa em dar um abraço nela, mas ele acha que é muita ousadia para recém conhecidos. Ele então apenas a cumprimenta e se distancia dela, seguindo seu rumo)

[CENÁRIO 10 – CASA DO FELIPE/ SALA/ NOITE]
PAULO – O Miguel ligou dizendo que já estava chegado!
VIVIANE – Quem foi buscar ele?
PAULO – Ninguém, ele vem vindo de taxi.
VIVIANE – E porque ele não avisou que tinha chegado. Teria mandado o motorista o pegar no aeroporto.
PAULO – Ele não veio de avião, veio de ônibus?
VIVIANE – Ônibus?
PAULO – Não me pergunte porque? Ele ligou agora e disse que estava chegando.

[CENÁRIO 11 – APARTAMENTO DA CAMILA/ COZINHA/ NOITE]
(Camila está na cozinha, sozinha)
CAMILA – É, nunca pensei que esse apartamento fosse ficar tão vazio como está hoje! Será que as meninas estão certas? Será que eu preciso de um namorado? (campainha) Joana chegou cedo. Deve ter brigado novamente com o Junior. (corre até a porta) Estou indo Joana, já vai. (abre) Carla!
CARLA – Oi , surpresa!
CAMILA – (abraça ela) Mas o que você está fazendo aqui? Porque você não avisou que estava vindo pro Rio? Você veio pra ficar?
CARLA – Calma, calma, primeiro posso entra?
CAMILA – Claro, entra. (Carla entra e ambas caminham até a sala) Porque você não avisou que estava vindo pra cá?
CARLA – Eu não avisei por dois motivos. Primeiro eu não sabia a data certa que daria pra vir e segundo queria fazer uma surpresa para as minhas amigas! Então, cadê as meninas?
CAMILA – São tantas coisas que aconteceram sem a sua presença aqui, que vai ser uma longa história.
CARLA – O que foi? Aconteceu alguma coisa?
CAMILA – Eu lhe conto tudo, mas você deve estar com fome, né? Vamos lá pra cozinha, estou terminando o jantar e te conto tudo que aconteceu esses dias sem você.
CARLA – O pior que estou mesmo, posso colocar minha mochila onde?
CAMILA – Me dar aqui, deixa que eu coloco no quarto da Adriana.
CARLA – Será que ela não vai se incomodar em dormir um tempo com ela?
CAMILA – Nada, ela nem vai ligar! (as duas vão para o quarto da Adriana)

[CENÁRIO 12 – CASA DO FELIPE/ SALA/ NOITE]
(Miguel chega e é bem recebido)
PAULO – Olha só quem chegou?
VIVIANE – Miguel, filho! (abraça ele)
MIGUEL – Olá, tia!
VIVIANE – Nossa, como você está bonito. Um homem forte, igual seu pai.
MIGUEL – Obrigado.
VIVIANE – Sua irmã, não veio?
MIGUEL – Não, não deu dela vir, disse que tem muitos assuntos na empresa e não tinha como largar lá e vir! Mas mandou o presente para os noivos.
VIVIANE – Entendo, mas uma da família que é viciada pelo trabalho!
MIGUEL – Como assim?
VIVIANE – Nada filho, mas você não quer tomar um banho, deve estar cansado da viaje?
MIGUEL – Pior que eu estou tia. Onde vou ficar?
PAULO – Vem, deixa que eu levo a moça aos seus aposentos.
MIGUEL – O mesmo engraçadinho né, Paulo. (Paulo leva Miguel até seu quarto)

[CENÁRIO 13 – PRAÇA/ NOITE]
(Junior e Joana caminham por um tempo de mãos dadas. Junior parar e ficar em frente a ela)
JUNIOR – Hoje é um dia especial sabia?
JOANA – Claro que eu sei. Estamos fazendo um mês de namoro.
JUNIOR – Também, mas hoje será o dia em que você será só minha pra sempre!
JOANA – Eu não entendi?
JUNIOR – (segura á mão dela e se ajoelha) Joana, você que ser só minha, pra toda a vida!
JOANA – Isso é um…
JUNIOR – Você quer se casar comigo?
JOANA – (não pensa duas vezes) Sim, claro que sim!
JUNIOR – Claro que é só um pedido… (se levanta) …você tem que terminar seus estudos, eu arrumar um emprego que dê de sustentar você e a família que iremos construir.
JOANA – Pra mim não importa se vamos casar agora ou daqui a 10, 20, 30 ou 50 anos… Estando apenas contigo, o resto não importa. (os dois se beijam)
JUNIOR – Por isso que eu te amo!
JOANA – Também te amo! (se beijam)
JUNIOR – Vamos, não quero receber outra bronca da Camila por está te deixando em casa tarde!
JOANA – Aquela ali, pensa que é a minha mãe, só porque é mais velha!
JUNIOR – É, mas é bom assim, pelo menos eu sei que quando você não está perto de mim, meu mundo estará em segurança!
JOANA – Bobo! (se beijam novamente)
JUNIOR – Vamos?
JOANA – Vamos, também não vejo a hora de contar a novidade para a Camila.

[CENÁRIO 14 – APARTAMENTO DA CAMILA/ COZINHA/ NOITE]
(Camila e Carla estão na mesa, ainda contado as novidades)
CARLA – Eu ainda não estou acreditando que a Adriana foi embora?
CAMILA – Você não conhece a peça? Doida como ela é.
CARLA – As duas amigas, brigadas por um homem.
CAMILA – Pois é. A Joana já deve está chegando com o namorado.
CARLA – Mas esse cara, quer mesmo algo sério com ela?
CAMILA – Me parece que sim. Sei que ela está morrendo de amor por ele.
CARLA – Agora não se sabe se ele sente o mesmo por ela?
CAMILA – Ok, já contei muitas novidades daqui, enquanto você nenhuma. Então, como foram os primeiros dias lá?
CARLA – Nos adaptamos rápido. Minha madrinha, sempre esteve no nosso lado, não deixou a gente sozinha nunca.
CAMILA – Vocês aqui nunca estariam sozinhas, poderiam contar sempre com a gente!
CARLA – Eu sei, mas já se adaptamos lá. A Paula está fazendo um cursinho, eu arrumei um emprego e foi com o meu salário, que consegui a passagem de volta pro Rio.
CAMILA – E você pretende passar quantos dias aqui?
CARLA – Não sei, na verdade só vi atrás de uma pista do meu pai.
CAMILA – Sim e como anda essa história? Imagino como você reagiu após descobrir que seu pai estava vivo esse tempo todo.
CARLA – Fiquei surpresa e também com um pouco de raiva, por terem me enganado esse tempo todo. Certo, que eu e a Paula éramos crianças, mas iriamos superar isso todas juntas.
CAMILA – Mas ela fez isso pra te proteger, você e sua irmã. Quem dera que a minha fosse assim.
CARLA – Falando nisso, o que ela queria com você? Pra ter te encontrado e ter vindo até aqui.
CAMILA – Adivinha? A única coisa que ela mais ama na vida, dinheiro! Ela queria me obrigar que eu fosse visitar uma casa de um tal cara rico aí, e que eu assumisse ser filha dele.
CARLA – E o que você fez?
CAMILA – Enfrentei ela. Se ela pensa que eu ainda continuava aquela mesma garotinha, indefesa, ela estava enganada. Enfrentei ela e a expulsei daqui de dentro. E até agora , não veio mais me procurar.
CARLA – Onde será que ela deve está?

[CENÁRIO 15 – EM FRENTE AO APARTAMENTO DA CAMILA/ NOITE]
(Beatriz está em frente ao apartamento da filha, e nas mãos está segurando um envelope)
BEATRIZ – Quero ver agora você não acreditar em mim filha. (olha para o envelope)

Continua no Capítulo 17…

Anderson S.

Acompanhe também:
TwitterFacebook

Rating: 4.7. From 3 votes.
Please wait...
Ir para: No Rumo da Vida

Deixe uma resposta