Capítulo 14 – Sagrada Família (Penúltimo)

. .

Leblon, Rio de Janeiro

VINICIUS – Você tem certeza que quer fazer isso?

RAFAEL – Sim eu quero e estou determinando a fazer, já ta tudo planejado, vou subir nesse palco e é agora.

Do outro lado do salão

JOYCE – E então amiga, como vai o namoro?

CRISTIANA – Namoro? Ele ainda não me pediu.

JOYCE – Como não? Já faz maior tempo que vocês estão juntos.

CRISTIANA – Maior parte da culpa é minha, porque fico enrolando ele em dizer uma resposta quando me pergunta.

JOYCE – Mas que medo é esse que você tem em?

CRISTIANA – De acabar me machucando, de ele não ser a pessoa certa e acabar sem nada no fim.

JOYCE – Mas, você tem que se arriscar, a nossa alma gêmea não vem com um papel na testa dizendo: ei eu sou sua alma gêmea, faz parte da vida decepções.

CRISTIANA – Já tenho tendo muitas decisões esses últimos tempos.

JOYCE – Mas, vai passar… Na verdade já passou.

CRISTIANA – Eu só queria esquecer todos esses problemas sabe, viajar para outro lugar.

JOYCE – Por que não aceita a sugestão daquele monstro e viajar para outro país?

CRISTIANA – Só vou ter paz quando ele for preso, não adianta nada eu viajar agora e ficar pensando se ele não aprontou nada com minha família;

JOYCE – Ele já deve estar longe e vamos parar com isso que hoje ninguém vai estragar a nossa noite.

CRISTIANA – Isso mesmo.

***

Favela do Vidigal, Rio de Janeiro

GABRIEL – (desesperado) Amanda? Amanda!

ANTÔNIO – (pegando a filha) Vamos coloca-la aqui no sofá.

Os dois carregam e colocam Amanda no sofá, que vai retomando a consciência lentamente

ANTÔNIO – Está tudo bem, filha?

AMANDA – Esta sim, foi só uma queda de pressão.

GABRIEL – Tem certeza Amandinha?

AMANDA – Sim, amor, agora vamos que não quero atrasar mais você.

GABRIEL – Acho melhor não irmos.

ANTÔNIO – Ele tem razão filha.

AMANDA – (levantando-se) Já disse que vou e pronto.

ANTÔNIO – Mas é muito teimosa mesmo, escuta seu namorado.

AMANDA – Você vai comigo ou vou sozinha?

GABRIEL – Ta já estou indo… Não se preocupe trarei ela em segurança.

ANTÔNIO – Ta bom, juízo.

***

Leblon, Rio de Janeiro

LORENA – Daqui a pouco vou chamar a Cristiana para cá, ai é com você.

VANDA – Pode deixar, já está tudo pronto, o carro já está estacionado no local que combinamos.

TONY – Então já está tudo certo, não vamos errar nada em, não quero saber de erros.

LORENA – Tudo bem, meu amor (dar um beijo em Tony)

VANDA – ôh, garota, volta pra sua festa, vai!

Lorena dá mais um beijo e sai de volta para a quadra.

VANDA – Mas essa menina é muito abusada.

TONY – Acalme-se amor você sabe que só tenho olhos para você.

VANDA – E porque você não corta essas coisas dela?

TONY – É um preço que se tem a pagar, se não ela não nos ajuda.

VANDA – Eu posso te ajudar sozinha.

TONY – Passou um tempão naquela casa e descobriu merda nenhuma.

VANDA – Auto lá, você que apareceu antes com esse projeto de piriguete.

TONY – Pelo menos ela teve uma ideia e você nada. Vamos parar por aqui se não quiser sentir o peso da minha mão.

 

Enquanto isso no salão Cristiana e Joyce dançam na pista de dança, as duas sorriem e brincam uma com as outras com comentários sobre os vestidos de outras meninas, elas se divertem como nunca mais havia acontecido.

Em um certo momento a música para, todos se voltam para o palco, um jovem de pele morena, um pouco forte, vestido com um terno preto com uma gravata azul aparece no palco, todos começam a cochichar o que será que iria acontecer.

Cristiana e Joyce reconhecem a figura, a “Rainha da escola” começa a tremer e a suar frio, o que o Rafael está fazendo ali, ela tenta fugir, mas Joyce a impede.

JOYCE – Pra onde você pensa que vai?

CRISTIANA – Tirar ele de cima do palco, ele não sabe o que está fazendo.

JOYCE – Ele sabe sim, relaxa amiga, curte o que ele tem pra te fala.

Em cima do palco Rafael gela, mas cria coragem para falar o que estava em seu coração.

RAFAEL – Boa noite, galera, você devem estar se perguntando o que está pessoa está fazendo aqui interrompendo a música e a festa de vocês, mas queria um minuto da atenção de vocês para falar uma coisa, o quanto amo essa pessoa – no telão começa a aparece algumas fotos dele com Cristiana – em anos essa pessoa vem fazendo minha vida mais feliz, uma amiga companheira, que sempre esteve ao meu lado quando precisei, e com o tempo esse sentimento de amizade foi se transformando em uma paixão e agora em amor e apesar de todo esse tempo estar com você, agora quero estar mais perto e cada vez mais perto.

Você é única responsável por todos esses sentimentos, eu quero ter você ao meu lado para sempre e hipótese alguma quero me separar de você. Você é especial pra mim, mesmo com esse jeito durona, marrenta e batalhadora que é, quero dividir todas essas aventuras com você.

E é por isso que hoje estou aqui para dizer que te amo e que você é muito importante pra mim. – Rafael respira fundo e diz – Você quer namorar comigo Cristiana Albuquerque? – Todos ficam surpresos e voltam seus olhares para Cristiana.

Após um breve momento todos começam a gritar aceita, aceita. Cristiana começa a corar e ficar nervosa até que anda em direção ao palco, as pessoas dão espaço para ela passar, ela sobre as escadas laterais e pega o microfone da mão de Rafael, mas não fala nada, se aproxima cada vez mais dele até dá um beijo demorado. Em seguida ela fala ao microfone:

CRISTIANA – Sim, eu aceito!

E todos em baixo começam a gritar de alegria, eles voltam a se beijar. No meio do salão Lorena fala para si mesma.

LORENA – Aproveita, porque essa sua alegria está para termina.

***

FERNANDO – Será que agora já posso o considerar da família.

RAFAEL – Quase isso. (rir)

CRISTIANA – Para pai é só um namoro.

RAFAEL – Pra mim não é, já to pronto para casar com você.

CRISTIANA – Uma coisa de cada vez né Rafael? (rir)

HELENA – Eu fico muito feliz que seja com seu filho, Susana.

SUSANA – E eu por ser sua filha, mas já sabia que em algum momento isso acabaria acontecendo.

HELENA – Desde criança quando eu via ele se dando uns beijinhos de vez em quando.

CRISTIANA – (sem graça) Mãe! Isso já faz uns 8 anos éramos crianças.

HELENA – Mas, olha no que resultou.

CRISTIANA – Enfim vamos mudar de assunto?

Lorena se aproxima da mesa

LORENA – Boa Noite senhores e senhoras, Cristiana estão precisando de você lá no fundo da quadra, parece que houve um problema com as bebidas.

CRISTIANA – E por que você vai resolver isso?

LORENA – Não é você que é a soberana da escola e presidente do conselho do baile, então tome de conta dele… ahh e não demora porque senão você vai ter outro problema para resolver. (sai)

CRISTIANA – Mas que garota insuportável.

JOYCE – Quer que eu vá resolver, Cris?

CRISTIANA – Não precisa amiga, eu resolvo.

Cristiana atravessa o salão em direção a porta dos fundos da quadra após se retirar do salão ela encontra o corredor vazio, segue mais alguns passos e não encontra nada, será que ela entendeu errado? Ela se volta para atrás mas tem sua boca e narinas tampadas por um pano, o cheiro de álcool invadiu suas vias aéreas até que perde a consciência.

No estacionamento da escola Amanda descia do carro enquanto Gabriel conversava com o motorista, ela olha ao redor e ver o quantos as pessoas estavam arrumadas e como era diferente dos bailes de sua escola, ela dar mais uma olhada no ambiente e em um canto distante ela reconheci a imagem desacordada da irmã de seu namorado sendo colocada dentro de um carro preto

AMANDA – Gabriel! (apavorada) Gabriel! Acho que sua irmã está sendo sequestrada, chama seus pais que vou impedi-los.

Ela sai correndo em direção ao carro, Gabriel sem entender nada ver sua namorada correndo e vai atrás dela.

Chegando no carro Amanda se coloca na frente dele

AMANDA – Vocês vão a lugar nenhum com ela.

TONY – Sai da frente fedelha, não enche o saco.

VANDA – O que vamos fazer?

TONY – Vou passar por cima dela, se ela não sair

VANDA – (grita) Sai da Frente, Garota!

Tony avista Gabriel vindo correndo

TONY – Ah quer saber, eu não vou deixar que eles estraguem meus planos.

Tony baixa o freio de mão, engata a primeira macha e acelera atropelando Amanda.

AMANDA – (grita) Amandaaaa!

***

GABRIEL – Fala comigo meu amor, por favor não morre.

Uma multidão se forma ao redor deles, muitos estavam com celulares tirando fotos e gravando.

AMANDA – Avi… sa…  seus… pa… pa… is… te… te… amo..

Amanda sente uma grande dificuldade de respirar

GABRIEL – Não fala meu amor, poupe suas energias.

AMDNA – Eu… te… te… Am… amo

Nesse momento Fernando chega ao local e tenta afastar os curiosos que ali se encontravam.

GABRIEL – Chama uma ambulância pai, antes que ela morra.

FERNANDO – Já chamei, eles já estão a caminho!

AMANDA – Cris… sal… salvem a Cris (desmaia)

***

Leblon, Rio de Janeiro

VANDA – O que você fez seu idiota?

TONY –  Eu disse pra ela sair, ninguém vai estragar minha vingança.

VANDA – Você não percebe o que fez ne?

TONY – o que eu fiz?

VANDA – Se essa menina morrer nós vamos ser considerados assassinos.

TONY – Já vamos ser considerados sequestradores, um crime a mais não faz diferença.

VANDA – Pra você né que tem dinheiro e pode sair rapidamente, para a pobre aqui as coisas são diferentes, eu não sei onde eu estava com a cabeça quando concordei com esse seu plano.

TONY – Você aceitou porque sabe que vai ganhar uma bolada nisso.

VANDA – Mas não incluía assassinato.

TONY – Se fosse a Lorena, ela não tinha dito nada, tinha apoiado.

VANDA – (com raiva) Então fique com ela!

***

Sala de espera do Hospital São Miguel, Gávea, Rio de Janeiro

GABRIEL – Ela vai morrer pai?

FERNANDO – Acalme–se filho os médicos estão fazendo tudo o que podem.

GABRIEL – É culpa minha, eu deveria ter impedido ela de ir atrás do carro.

FERNANDO – Ninguém poderia imaginar isso filho, não se culpe, ela só queria salvar a sua irmã.

GABRIEL – A Cristiana, alguém já está tentando encontrá-la?

HELENA – Sua mãe já telefonou para a delegacia, eles já começaram as buscas pela área.

GABRIEL – Espero que encontrem logo.

FERNANDO – Também meu filho.

Antônio estava sentado no sofá, calado pensativo

***

Leblon, Rio de Janeiro

Marta encontrava-se deitada no sofá vendo a novela, comendo sorvete, de repente um vento frio entra pela janela, ela se arrepia com o calafrio e se abraça com uma sensação de angustia, levanta do sofá e vai até a janela e a fecha.

Ela volta a sentar no sofá, mas a sensação de angustia só aumenta. Marta pega o celular e disca o número de sua filha, mas só chama, ela tenta mais três vezes sem sucesso, a preocupação começa a tomar de conta dela, ela pega o celular novamente e disca o número do marido.

MARTA – Alô! Antônio? Onde estar a Amanda?

O silencio toma de conta da linha

MARTA – Antônio!?

ANTÔNIO – Marta, a Amanda está no hospital (chorando) Ela foi atropelada por um carro quando tentava salvar a irmã do namorado dela de ser sequestrada.

MARTA – (desesperada) Como assim? Em que hospital vocês estão?

ANTÔNIO – Acalme-se, Marta, ela já está sendo atendida, estamos no hospital da família Albuquerque, o São Miguel que fica na Gávea, o doutor Fernando nos garantiu que está fazendo o possível para salva-la.

MARTA – Então ela corre risco de morte? Estou indo para ai agora.

Ela começa a chorar e senta no sofá pensando

MARTA – Minha filha!

***

Gávea, Rio de Janeiro

CRISTIANA – Me solta seus loucos, tinha que ser você né Tony, por que não nos deixa em paz.

TONY – Só vou deixar vocês em paz quando eu tiver minha vingança.

CRISTANA – Vingança pelo o que?

TONY – Pelo seu pai ter roubado a minha namorada, por ele ter roubado o meu futuro como presidente do São Miguel, ele vai me pagar e será perdendo tudo o que tem, se for possível até a família, porque posso tirar isso dele também.

CRISTIANA – Nunca ficaríamos com você

Tony pega uma faca que estava ali perto em uma mesa

TONY – Se eu matar vocês, ele perde também.

CRISTIANA – Você não seria capaz.

Ele aproxima a faca do pescoço de Cristiana, ela gela e começa a suar frio

TONY – Então experimentar não fazer o que eu mandar!

Os olhos de Cristiana ficam fixo no objeto cortante perto de seu pescoço as lágrimas começam a cair.

CRISTIANA – Eu não tenho medo de você.

TONY – Pois, deveria ter. (pressiona o objeto cortante no pescoço de Cristiana)

CRISTIANA – Eu sei que você não vai me matar enquanto eles não derem o que você quer.

TONY – Sabia menina (retira a faca do pescoço da menina e volta a colocar a arma na mesa)

CRISTIANA – Só tem um problema nesse seu plano.

TONY – Qual?

CRISTIANA – Você vai perder, porque você é fraco, sempre perde.

Tony vai onde Cristiana e a pega pelo ombro e começa a aperta-la

TONY – Isso que você pensa sua fedelha, você vai ver como você ainda vai me obedecer junto com a vagabunda da sua mãe, nem para isso eu tenha que matar aquele miserável do Fernando.

Cristiana cospe na cara de Tony

CRISTIANA – Isso nunca vai acontecer!

TONY – Ahh sua pirralha você vai aprender agora!

Tony levanta a mão para bater em sua enteada, mas é impedido por Vanda

VANDA – Controle-se não está vendo que isso que ela quer?

Cristiana sorrir

CRISTIANA – Pelo menos alguém inteligente aqui.

TONY – (limpando o rosto) Coloca essa menina trancada na área de serviço, vai passar fome para ver se aprende a falar menos, tapa a boca dela com alguma coisa, deixa ela amarrada. Ah, revista também.

Lucas André

Acompanhe também:
Facebook

Rating: 1.0. From 1 vote.
Please wait...

4 Comments

Deixe uma resposta